Valores pagos aos advogados da prefeitura de Foz são imorais | Tribuna Popular

Valores pagos aos advogados da prefeitura de Foz são imorais

Data: 22/02/2018 - 02:02 | Categoria: Política |   Bookmark and Share

A legalidade para a fortuna paga aos procuradores pode ter fundamento, mas é imoral

Os procuradores vêm alegando que baseado em lei do novo código civil eles tem direito de receber os honorários de sucumbência, ainda que o assunto não esteja resolvido nos tribunais superiores. Mesmo havendo legalidade, a fortuna distribuída a eles é, no mínimo, imoral.

Qual advogado, fora do serviço da prefeitura, conseguiria honorários de sucumbência com essa facilidade. No Município, as causas são constantes e não necessita de esforço em buscar clientes, como ocorre nos escritórios particulares.

A lógica é que no caso dos procuradores, os valores só se concretizam, em tamanha proporção, pela existência das causas naturais e cotidianas do poder público. Por meio delas é que os procuradores privilegiados estão se beneficiando e com a anuência do prefeito, que assinou ato administrativo.

O Tribuna Popular buscou no Portal da Transparência os valores de cada um. Os salários normais (vencimentos + vantagens pessoais) ficam entre R$ 11,5 mil a R$ 19,5 mil mensais. Os honorários de sucumbência aparecem no campo 7 do holerite descritos como "verbas variáveis". Nesse item, quase todos os pesquisados receberam mais de R$ 100 mil em dezembro.

Veja os Holerites abaixo:

Fonte:

http://www.jtribunapopular.com.br/uploads/publicacoes/jornal-tribuna-popular-edicao-226-pdf.pdf   

Atenção

A reprodução das fotos do Portal de Notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida por lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br