Prefeitura usa indevidamente nome do médico aposentado Dr José Aiex | Tribuna Popular

Prefeitura usa indevidamente nome do médico aposentado Dr José Aiex

Data: 03/05/2018 - 12:05 | Categoria: Saúde |   Bookmark and Share

Psiquiatra denunciou o caso nas redes sociais; assunto deverá ser investigado pelo Ministério Público

Causou grande repercussão uma denúncia feita pelo médico psiquiatra aposentado Dr José Elias Aiex Neto. O ex-servidor público fez a denúncia nas redes sociais apontando que a prefeitura usa indevidamente o nome dele. O relato expõe o total descontrole no setor de saúde com sérias consequências para os cidadãos que dependem de atendimento pelo SUS especialmente na área de psiquiatria. A situação é tão grave que deverá ser investigada pelo Ministério Público.

Leia a íntegra da carta publicada pelo Dr Aiex:

Trabalhei como médico concursado para a Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu por mais de 25 anos. O primeiro concurso público que prestei para assumir uma vaga de servidor municipal foi em 1991, sendo que comecei a trabalhar em 1992. Em 1997 prestei um segundo concurso e só fui assumir o segundo vínculo (nós, médicos podemos ter dois vínculos públicos, pois nossa jornada de trabalho é de quatro horas diárias), pois no governo Daijó havia uma restrição ao meu nome, que não vale a pena recordar, ainda mais vinda de um governo de tão triste memória para a nossa cidade.

Mas sempre soube que os prefeitos passariam e eu, assim como tantos outros servidores municipais continuaríamos a servir o povo da nossa cidade até o dia da nossa aposentadoria. E foi em 2017 que ela chegou, infelizmente provocada por uma doença grave, contra a qual estou lutando com muita energia. Pretendia trabalhar mais alguns anos, mas o câncer, essa epidemia que se espalha no meio da população, abortou os meus planos.

Foi único concursado

Quando trabalhava para a prefeitura era o único psiquiatra concursado da mesma. Assim, quando os pacientes eram encaminhados para uma consulta com tal especialista elas saiam em meu nome. Ficava muito angustiado com o fato de saber que às vezes haviam mais de 1000 pessoas com um papel em sua casa dizendo que elas estavam em uma fila esperando meses uma simples consulta comigo.

Graças ao empenho dos Drs. Zarpelon e Roberto Almeida a prefeitura criou em Foz o Programa de residência médica, o qual possibilitou que o nosso município formasse especialistas em diversas especialidades, entre as quais a Psiquiatria. Fui coordenador da residência em psiquiatria durante um tempo, tendo depois assumido a Coordenação da COREME, que é responsável por todas as especialidades.

Foi um período muito rico, pois comecei a preparar médicos jovens para serem futuros psiquiatras, que viriam a me substituir quando parasse de trabalhar. Foz do Iguaçu já formou cinco psiquiatras, que receberam o Título de especialista na área, através do Ministério da Educação.

Surpresa sobre consulta

Ontem, no entanto, fui surpreendido por um apelo feito por um velho amigo, através do Facebook. Pedia ele ajuda para o caso de uma pessoa de sua família que sofre de depressão e que tinha uma consulta agendada comigo sabe-se lá quando, no Ambulatório de Saúde mental do SUS local. Seu remédio tinha acabado e ela precisava de receita. Estupefato, pedi que ele me enviasse o papel em que estava escrito isso, o que ele fez prontamente, pelo Face.

No papel estava impresso que no dia 1º de dezembro de 2017 (quando eu já estava aposentado) a paciente foi encaminhada por uma unidade básica de saúde para consultar comigo, porém em data incerta. E a sua colocação na fila de espera passava de uma milhar.

Hoje fui à Secretaria Municipal de Saúde saber o motivo da tão grave absurdo, o qual tipifica um verdadeiro estelionato com a população de Foz, já que as pessoas ficam na expectativa de que terão acesso a um psiquiatra e ficam na fila meses e meses a fio. Me explicaram candidamente que deram sequência ao agendamento que faziam quando eu estava na ativa, pois não estão tendo profissionais para contratar, o que é uma mentira, pois dos cinco psiquiatras que formamos através da residência médica apenas um se radicou em Cascavel, cidade da qual era originário.

Quer dizer, não contratam profissionais para atender a população e usam o nome de um psiquiatra (no caso o meu) para enganar a população, fazendo-a crer que sua consulta será facultada a ela em breve.

Omissão e descontrole

Além do prejuízo causado aos usuários, tal atitude me prejudica, pois as pessoas ficam imaginando que ainda estou atendendo e lamentam a demora, achando que tenho participação nisso. Além do mais, quando fui aposentado por invalidez o FOZPREV me mandou um comunicado dizendo que estou aposentado mas que se eles souberem que estou trabalhando eles suspendem a aposentadoria. Em função disso não tenho mais nem consultório particular. Mas a própria Prefeitura de Foz, imprime e distribui guias de agendamento de consulta usando o meu nome, o que poderia provocar uma reação do Foz Prev.

Em defesa do SUS

Todos sabemos que o SUS é maravilhoso, sendo que sempre o defendi e defendo até hoje. Sabemos também que os problemas do SUS são causados principalmente por gestão inepta, o que tem sido uma marca local. O que causa espanto é lembar que o atual prefeito ganhou a eleição jurando que ia resolver os problemas de saúde do município. Por fatos como o relatado acima parece que ele ainda não começou a governar. Peço a ele, como servidor municipal como eu (entramos juntos na prefeitura em 1991), que dê uma melhor atenção para a saúde.

Fonte:

http://www.jtribunapopular.com.br/uploads/publicacoes/jornal-tribuna-popular-edicao-232-pdf.pdf   

Atenção

A reprodução das fotos do Portal de Notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida por lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br