Narizão não declarou seus bens e pode perder o mandato de vereador | Tribuna Popular

Narizão não declarou seus bens e pode perder o mandato de vereador

Data: 29/07/2020 - 18:07 | Categoria: Política |   Bookmark and Share

Vereador quebrou juramento, enganou meio mundo e pode sofrer sanção da Justiça Eleitoral e da própria Câmara de Vereadores

Para assumir um cargo eletivo a pessoa precisa fazer um juramento, afirmando que irá cumprir as leis e a Constituição da República. Com a mão erguida, Edson Narizão jurou em alto e bom som: "Assim eu prometo".

O juramento foi quebrado porque Narizão declarou perante a Justiça Eleitoral não possuir patrimônio. No entanto, como já relatamos em matérias anteriores, ele possui um terreno, uma chácara e um automóveis. Assim sendo, zombou da Justiça e tripudiou em cima do Poder Legislativo.

Qualquer político é obrigado, por lei, fazer sua declaração de bens ao registrar sua candidatura. Apesar de não ter muita afinidade com as letras, Narizão sabe muito bem disso, tanto é que já assumiu o cargo outras vezes.

O primeiro imóvel de propriedade de Narizão não foi declarado para o exercício de sua candidatura, relativa ao pleito de 2016. Já a chácara de meio hectare foi comprada em 6 de agosto de 2015, anteriormente ao registro de sua candidatura a vereador.

Quando dissemos que "a esperteza quando é demais engole o dono", pode ser que esse antigo ensinamento sirva muito bem para o vereador Narizão. É que a lei número 9429 reza que o agente público que prestar informações falsas a respeito de seus bens e valores que compõem seu patrimônio privado, será punido com demissão. No caso específico de Edson Narizão a punição pode ser a cassação de seu mandato de vereador.

Seguindo essa linha de raciocínio, se a Justiça Eleitoral for acionada, o vereador poderá perder seu mandato e ainda ter sérias dores de cabeça para registrar sua candidatura após as convenções partidárias desse ano, já que ele pretende disputar a reeleição.

O vereador também pode ser submetido ao Conselho de Ética por sua falta de decoro parlamentar. Afinal, ele mentiu, fez declarações falsas, tentou burlar as leis que jurou respeitar.... Se isso não for falta de decoro, então o Eduardo Cunha foi preso injustamente.

O vereador humilde também mostrou ser rápido no gatilho quando se trata de burlar a lei e dar o calote em seus credores. Ao tomar conhecimento que sua conta corrente poderia ser "sequestrada" para o pagamento da dívida, o raposão, quero dizer, o Narizão, tratou de enviar uma carta ao presidente da Câmara, solicitando que seu pagamento fosse feito por meio de cheque.

O ofício foi enviado em 15 de julho de 2020, duas semanas após o pedido de penhora dos valores constantes em suas contas bancárias. Narizão também mostrou-se mais rápido no gatilho que o próprio Django. Sacou tudo o que havia em suas contas, limpando até os centavos.

Narizão teria prometido:

"Prometo cumprir e fazer cumprir a Constituição Federal e Constituição Estadual a Lei Orgânica do Município e as demais Leis em vigor, exercer com patriotismo com honestidade com espírito publico o mandato de vereador que me foi concedido e promover quando a mim couber o bem publico."

"Assim Prometo"

Fonte:

http://www.jtribunapopular.com.br/uploads/publicacoes/jornal-tribuna-popular-edicao-279-pdf.pdf   





Atenção

A reprodução das fotos do Portal de Notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida por lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br