Decreto do prefeito gera medo da dengue e pode espantar turistas | Tribuna Popular

Decreto do prefeito gera medo da dengue e pode espantar turistas

Data: 11/07/2018 - 15:07 | Categoria: Política |   Bookmark and Share

Gestão municipal não faz a sua parte no controle da doença e joga a culpa no povo

"Nunca vi um absurdo destes. Joga a culpa no povo, cria um clima de medo na cidade, espanta os turistas e se omite, não faz nada, não cumpre sua obrigação. Atitude criminosa. Nunca imaginei fosse possível tal atitude de um governante". O desabafo é do ex-prefeito Paulo Mac Donald ao tomar conhecimento do ato do prefeito Chico Brasileiro decretando ao estado de atenção para o risco de epidemias devido ao aumento de casos de dengue e a alta infestação por Aedes Aegypti.

O decreto realmente penaliza o povo por conta da proliferação de doenças como a dengue e leishmaniose. Esta situação também traz inegáveis consequências para o turismo podendo espantar visitantes devido ao risco de contaminação.

Por edital todos os proprietários de terrenos baldios ou não estão automaticamente notificados. Caso a limpeza não seja realizada em sete dias "será lavrado auto de infração, conforme dispõe o art. 206, alínea b do Código de Posturas do Município, sem prejuízo de lançamento de eventual taxa de limpeza de terreno baldio, quando realizado pela Administração Pública", consta no decreto.

Isso significa que, dependendo do caso, o dono do imóvel será multado em até 100 unidades fiscais do Município, ou seja, R$ 7.680,00 considerando que cada unidade fiscal vale R$ 76,80. Será aplicada multa em dobro ao proprietário e/ou responsável do imóvel que não atender ao disposto no Decreto.

Prefeitura não cumpre a sua parte

O decreto de Chico Brasileiro é uma medida extrema, que poderia ser justificada, caso o Município cumprisse a sua parte evitando que a situação chegasse a esse ponto. No caso da dengue, a prefeitura deveria ter iniciado o trabalho preventivo em novembro, porém se omitiu e não fez nem mesmo o trivial e com isso o índice de infestação do mosquito saiu do controle.

O último levantamento da LIRAa, realizado os dias 07 a 10 de maio deste ano, apontou Índice de Infestação Predial-IIP de 1,66%, classificando o município em Estado de Alerta para epidemias de doenças transmitidas pelo Aedes.

O CCZ realizou também a vistoria das armadilhas para captura de fêmeas "grávidas" já instaladas, na metodologia de 01 armadilha para 20 a 25 imóveis (ou uma armadilha por quarteirão), que resultou em um Índice Predial de Armadilhas (IPA) de 7,5%, ou seja, a cada 100 armadilhas lidas, em aproximadamente 8 delas, houve captura de mosquitos Aedes, estando o município em alto risco para epidemias de doenças transmitidas pelo Aedes.

Um novo levantamento LIRAa sai ainda neste mês devendo trazer dados ainda mais preocupantes.

Fonte:

http://www.jtribunapopular.com.br/uploads/publicacoes/jornal-tribuna-popular-edicao-237-pdf.pdf   

Atenção

A reprodução das fotos do Portal de Notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida por lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br