Corpo de idoso encontrado morto fica mais de 4 horas a espera de remoção | Tribuna Popular '

Corpo de idoso encontrado morto fica mais de 4 horas a espera de remoção

Data: 20/08/2013 - 11:08 | Categoria: Segurança | Visualizações: 3694 |   Bookmark and Share

No inicio da tarde de ontem, 19 de agosto de 2013, o COBOM (Central de Operações do Corpo de Bombeiros) foram acionados pelo telefone de emergência 193, dando conta de que em um dos apartamentos do Condomínio Residencial Tarobá, na Avenida João Paulo II, no Bairro Jardim Guarapuava, havia uma suspeita de que uma pessoa estaria morta no interior do apartamento.

Diante das circunstancias, foram deslocados duas viaturas do corpo de bombeiros, sendo uma ABTR (Auto Bomba Tanque e Resgate) e uma ABS (Auto Busca e Salvamento) do oficial de serviço.

No local, devido ao mau cheiro que saia do apartamento, as portas foram arrombadas, sendo localizada uma pessoa idosa, morta há vários dias em adiantado estado de putrefação.

O idoso foi identificado como sendo o aposentado Paulo Siewert, de 70 anos de idade e estaria morto a mais de 100 horas, sendo acionado imediatamente o Instituto Médico Legal de Foz do Iguaçu para a remoção do corpo.

Porem o serviço de remoção por parte do IML foi prejudicado por determinação do Diretor Administrativo, em decorrência de um impasse de quem seria a responsabilidades deste transporte.

Segundo o entendimento do diretor do IML, a morte seria de causas naturais e não seria de responsabilidade do órgão.

Já para o SVO (Serviço de Verificação de Óbito) do município que é responsável sim por óbitos provenientes de causas naturais, em domicilio, a caminho do hospital e em ambulatório sem diagnostico de causa de morte.

Porem é de restrita responsabilidade do IML, óbitos que venha a ocorrer em domicílios ou em via pública que estejam em processo de putrefação, pois não há como se fazer um diagnostico preciso para determinar a causa do óbito no local, alem de que o corpo neste estado não pode adentrar em instalações hospitalar, por uma causa obvia e epidemiológica, assim como cadáveres sem identificação são de responsabilidade do Instituto de Identificação e do Instituto Médico Legal.

Segundo a Portaria Nº 1.405 de 29 de junho de 2006, do Ministério da Saúde, em cumprimento ao Art. 8º, parágrafo II, onde determina a transferência imediata ao IML os casos de corpos em estado avançado de decomposição e de mortes de causa natural de identidade desconhecida.

Já no final da tarde, uma viatura do IML acabou realizado o transporte do corpo, ficando a família responsável em formalizar a denuncia junto ao Ministério Público para verificar de quem seria a falha da demora na remoção do corpo.

Fotos: RPC TV

 

Atenção

A reprodução deste conteúdo somente é permitida desde que seja dado o crédito à Tribuna Popular, informando o endereço www.jtribunapopular.com.br

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte email jtribunapopular@bol.com.br

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610/1998.